A dependência química é uma doença difícil de lidar, justamente porque os efeitos do vício no corpo e no cérebro podem ser irreversíveis. Sendo assim, deve-se estar atento aos problemas que se sucedem após instalada a doença do comportamento adictivo no organismo.

Atualmente vivemos em um mundo onde cada vez mais se exige da nossa capacidade de intelecto e de produção (trabalho). Estamos na era da informação, na era do conhecimento, na era do aumento da qualidade de vida e do desenvolvimento humano. Entretanto vivemos na era dos transtornos mentais.

Depressão, síndrome do pânico, transtornos bipolares, esquizofrenia, transtorno de ansiedade generalizada, transtornos afetivos, comportamentos adictivos e dependência química são alguns dos problemas mentais mais comuns na sociedade moderna.

Puxando para uma realidade mais próxima, a dos brasileiros, atualmente estamos enfrentando a era dos tarja preta. CAPS lotados, psiquiatras sem agenda disponível e com uma sociedade que depende de um amuleto para se tornar tecnicamente estável, as drogas psicoativas ou benzodiazepínicos.

Concomitantemente a essas questões estamos vivendo a maior epidemia de drogas sintéticas que o país enfrenta, a epidemia de crack e cocaína. Desde 2019, o Brasil alcançou uma triste realidade, o maior consumidor do mundo de cocaína e crack, superando os EUA.

Entretanto, todos esses fatores descritos acima influenciam diretamente no quesito saúde mental da população. Principalmente pela questão química envolvendo drogas lícitas e ilícitas, afinal de contas, os medicamentos também causam dependência. Porém as Ache Aqui Clínicas traz uma importante indagação: Quais os efeitos do vício no corpo e no cérebro?

Substâncias psicoativas lícitas e ilícitas.

Antes de começarmos a responder a pergunta proposta por essa matéria informativa, é interessante trazermos um conjunto de substâncias psicoativas que são lícitas e ilícitas para podermos visualizar que não são apenas as drogas ilícitas que criam a dependência. Existe uma grande quantidade de indivíduos que são dependentes químicos e que sequer imaginam que fossem.

ILÍCITAS

LÍCITAS

MACONHA

TABACO

MESCLADO

ÁLCOOL

CRACK

BENZODIAZEPÍNICOS

COCAÍNA

PSICOTRÓPICOS

LSD

ANTI-INFLAMATÓRIOS

GBH

OPIÓIDES

ANFETAMINAS (METANFETAMINA & KETAMINA)

ESTIMULADORES DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL

Tatuagem Cerebral

Tatuagem Cerebral

Tudo é uma questão química, o cérebro manda a mensagem e o corpo responde. Todas as drogas citadas acima alteram as sinapses do organismo. Além do mais existem drogas estimulantes e que atual do sistema de recompensa do cérebro como cocaína, crack, tabaco (nicotina) e outras drogas que deprimem o sistema nervoso central como o álcool, psicotrópicos e benzodiazepínicos.

Entretanto, quando começam a ser utilizadas com uma determinada frequência independentemente das substâncias, o cérebro começa a se acostumar com o estímulo externo e se instala um processo de dependência.

Sendo assim, especialistas dizem que o tratamento da dependência química é muito difícil justamente porque o cérebro fica tatuado. As substâncias literalmente tatuam o órgão e fazem com que ele se acostume com a sensação e que recorra mais e mais vezes nessa sensação.

Tanto é que os efeitos do vício no corpo e no cérebro são terríveis, justamente porque o corpo e mente padecem juntos, entretanto a mente gosta de tal sensação. As drogas estimulantes como cocaína, crack, anfetaminas, metanfetaminas, ketaminas e a nicotina são drogas que atuam no sistema de recompensa do cérebro, o que faz com que os hormônios liberados tragam a sensação de prazer e façam com que sejam esquecidos os malefícios consequentes do processo de dependência

Problemas ao Longo Prazo

Problemas ao Longo Prazo

Os problemas ao longo prazo são bem conhecidos. O corpo começa a padecer e nos casos de pessoas dependentes das drogas estimulantes, o coração pode inchar, a pressão arterial fica desregulada, e outras comorbidades graves podem desencadear como o transtorno de ansiedade generalizada e o transtorno afetivo bipolar.

No caso das substâncias depressoras do sistema nervoso central como psicotrópicos, álcool e benzodiazepínicos, podem desencadear problemas nos rins, fígado, baço e pâncreas. Além do mais, o álcool, ao longo prazo pode causar problemas na parte cognitiva e de movimentos do indivíduo.

As drogas perturbadoras do sistema nervoso central como a maconha, GHB e LSD, criam distúrbios de espaço e tempo, onde o usuário perde a noção do que é real ou não, e de localização. Como consequência ao longo prazo, pode criar um dos transtornos mais perigosos, o da esquizofrenia.

Para piorar a situação, existem dois medicamentos que estão se tornando o queridinhos do mundo, a codeína e a morfina. Qualquer sensação de desconforto, a automedicação através da codeína está se popularizando cada vez mais. Juntamente com isso aparecem outros problemas como a dependência química, e por ser um medicamento que bloqueia os sinais de dor, pode esconder uma sinalização do organismo de que algo está errado.

Problema de Saúde Pública

Como sabemos, os estudos referentes à essas substâncias desde a década de 70, foram relevantes para podermos entender onde as drogas atuam e justamente porque há um processo de dependência. Desta forma os efeitos do vício no corpo e no cérebro são tão grandes que a OMS determinou em 2001 que a dependência química é um transtorno mental.

E como tal transtorno, se não tratado pode desencadear uma gama de problemas consigo. Além do mais, no contexto das drogas ilícitas como o crack, geram uma epidemia de problemas sociais consigo. O crack é devastador, não só para quem o utiliza, mas para a sociedade em geral. A alta dependência e reincidência do uso da substância, faz com que delitos sejam cometidos pelo usuário, e na fase de abstinência insanidades são cometidas.

O Tratamento

Ache Aqui Clínicas

O tratamento da para pessoas que são farmacodependentes e dependentes químicos envolve um conjunto de esforços. Primeiro o dependente tem que admitir que necessita de tratamento, só assim pode-se recorrer a um psiquiatra e às sessões de psicoterapia.

Já no caso de dependência de drogas ilícitas, realizar um tratamento medicamentoso para evitar sensações de desconforto causadas pela abstinência, é devidamente importante para auxiliar na fase de desintoxicação.

As clínicas de recuperação são importantes para dar um assistencialismo para quem não consegue se livrar do vício, seja pela droga de escolha, seja por si só. Sendo assim, nós do Ache Aqui Clínicas estamos dispostas a ajudar usuários e familiares, que precisam de auxílio e orientação no processo de luta contra o vício.

Deixe seu comentário