Em 1940, o hospital psiquiátrico Belmont, deu origem aos parâmetros estruturais e filosóficos que alicerçaram parte dos príncipios das CTs.

Esta fora criada para auxiliar na socialização através de uma dinânica democrática e menos hospitalocêntrica. Na década de 1960 deste mesmo século, o médico psiquiatra Franco Basaglia, um dos responsáveis pela luta antimanicomial na Itália, tranformou o hospital psiquiátrico de Gorizia em um espaço mais humanizado.

Nos Estados Unidos, uma organização conhecida como “grupo de Oxford” acrescentou o viés religioso nos trabalhos em Nova York. Em 1958, sob forte influência do A.A., um grupo de álcoolatras se juntou dando origem a Comunidade Terapêutica Santa Mônica na California.

Por fim, , em 1963 na cidade de Nova York, surge a CT Daytop Villag, compilando todos os aspetos positivos das CTs anteriores enfatizando a formação da interação entre pares. No Brasil, há registros de que a primeira Comunidade Terapêutica, “Movimento Jovens Livres” tenha surgido em 1968 no estado de Goiás. Em em 1978, na cidade de Campinas, SP, sugira o grande referencial de CTs no Brasil: A “Fazenda do Senhor Jesus,” idealizada e gerida até quase o presente momento por Pdre Haroldo J. Rahm, com grande destaque ao modelo psicossial.

Comunidades Terapêuticas

Vale ressaltar que dada a coplexidade da doença, uma equipe multidisciplinar deverá observar possíveis comorbidades, considerar fatores biológicos, comportamentais e ambientais. A dependência química é uma doença / sintoma, e uma instiuição comprometida com o processo de recupração do sujeito poderá junto a ele construir os mecanismos comportamentais necessários para uma vida de sobriedade.

“Movimento Jovens Livres” tenha surgido em 1968 no estado de Goiás. Em em 1978, na cidade de Campinas, SP, sugira o grande referencial de CTs no Brasil: A “Fazenda do Senhor Jesus,” idealizada e gerida até quase o presente momento por Pdre Haroldo J. Rahm, com grande destaque ao modelo psicossial.

 

 

Deixe seu comentário