“VIVER BEM, AGIR E FALAR BEM”
(ZOROATRO)

Escrito pelo psicólogo Júlio Porto – CRP 04/56474

Pode parecer utópico e até mesmo com uma dose de  sarcasmo iniciar este texto com esta frase de Zoroastro. Mas partindo da premissa de que segundo a abordagem cognitivo-comportamental nós podemos trabalhar  nossos pensamentos automáticos. É muito importante  procurarmos  desenvolver recursos psíquicos neste contexto de pandemia.  Isso pode fazer a diferença no  sentido de evitar alguns transtornos como os de ansiedade e depressão.

DEPENDÊNCIA QUÍMICA / COVID-19

Por Júlio Porto

DEPENDÊNCIA QUÍMICA COVID-19

Um único ponto, um vírus, está causando tragédias em  nível mundial como de fato nenhuma geração presente tenha testemunhado. Podemos falar de outras pragas  como a peste bubônica associada a peste negra, podendo ter matado 200 milhôes de pessoas; a gripe espanhola  que estima-se que tenha matado até 50 milhões de  pessoas, entre outras tantas enfermidades que  consumiram milhares de vidas ao longo de nossa  existência. Devemos considerar também a gripe suína,  contemporânea á nossa geração e que pode ter matado  cerca de 16 mil pessoas, sendo o México o país mais  atingido.

Em relação ao COVID-19, até o momento da construção deste informativo pude verificar 608,420 mortes. Para  além das milhares de mortes, desempregos, crises em  todos os campos, temos um elemento não menos  aterrador: fomos pegos mesmo que de certa forma, por algo novo, nenhuma autoridade politica, nação ou  pesquisador até agora, salvo por possível equívoco, pôde dar conta do que se tem a fazer para neutralizar o vírus e promover a cura para os infectados. E, o que dizer sobre os dependentes químicos, que por serem submetidos a  substâncias psicoativas, que afetam o humor,  pensamento, emoções, naturalmente já são possuidores de uma cognição frágil e em muitos casos outras  comorbidades psíquicas.

A SAÚDE DO DEPENDENTE QUÍMICO X  COVID-19, UMA INTERAÇÃO PERIGOSA

Por Júlio Porto

A SAÚDE DO DEPENDENTE QUÍMICO X  COVID-19, UMA INTERAÇÃO PERIGOSA

 

A doença Covid-19, sabemos, causa os sintomas de dor  de garganta, diarreia, tosse seca, cansaço, dores  musculares, congestão nasal, podendo evoluir para  outros quadros levando a óbito e dependendo também  do estado de saúde da pessoa. Dependentes compulsivos de drogas podem ter vários problemas relacionados a  saúde como câncer, lesão no fígado, pulmão,  mau funcionamento nos rins, problemas no coração, além de poder desenvolver deficiência imunológica, e DST/aids. Mas há uma outra questão preocupante, as  comorbidades com outros transtornos mentais. O termo comorbidade significa a associação de duas ou mais  doenças, ou seja a pessoa tem mais de uma doença ao  mesmo tempo.

Quais são principais comorbidades associadas á dependência química?

A doença Esquizofrenia, e também transtornos como de personalidade, depressão, ansiedade, bipolaridade, déficit de atenção e hiperatividade. Alguns desses transtornos  podem ter seu quadro sintomático potencializado devido a dinâmica de quarentena. Por exemplo, os sintomas de  ansiedade e depressão também podem ter associação com a rotina estabelecida após o início do isolamento social.

COMO FICAM AS EMOÇÕES DURANTE  A PANDEMIA?

Escrito pelo psicóloga Marcilene Martins – CRP 04/56723

COMO FICAM AS EMOÇÕES DURANTE  A PANDEMIA

A chegada do coronavírus pegou a todos de surpresa e  abalou todo o mundo como nunca havia acontecido antes. É como diz aquela música do Raul Seixas: “O dia  em que a terra parou”, porém, esse dia já tem alguns  meses e sabemos que ainda vai permanecer por mais  tempo. Hoje temos um grande desafio que é de entender esse “novo mundo” e aprendermos a lidar com ele, pois  afinal de contas tudo é diferente.

Muitos de nós tivemos diversos tipos de perdas como de um ente querido, perda de algum projeto, o adiamento de um casamento, cancelamento de uma viagem, um  divórcio, enfim, as perdas são inúmeras e com elas vem um turbilhão de sentimentos. Outro tipo de perda que  tivemos foi do contato com o próximo, logo nós brasileiros que temos em nossa cultura a afetividade de uma forma calorosa com o outro.

Diante desse novo cenário é comum o surgimento de sentimentos como tristeza, angústia, desespero, raiva, irritação, insegurança, incertezas, desesperança, também o medo. A humanidade hoje vive um momento de crise emocional e se isso não for tratado pode gerar adoecimento psíquico e aumentar os índices de depressão e ansiedade.

O QUE FAZER PARA LIDAR COM AS EMOÇÕES?

Por Marcilene Martins

O QUE FAZER PARA LIDAR COM AS EMOÇÕES

Primeiramente é importante entender o que está acontecendo, tomar consciência da realidade e entender que isso é temporário. Pois sabemos que tudo na vida é passageiro, tanto momentos bons ou ruins, não é verdade? E com a pandemia não é diferente.

– Evitar o excesso de notícias é importante pois esse excesso gera emoções negativas. Por isso é importante saber selecionar os momentos que convêm assistir notícias. É fundamental estar antenado do que acontece, porém sem exageros.

– Manter uma rotina é importante para reduzir os impactos emocionais. Tenha horário para acordar, dormir, almoçar, trabalhar, lazer. Para quem está trabalhando de casa é importante estabelecer pausas para descanso e trabalhar apenas nos horários certos.

– É importante manter a proximidade de pessoas queridas seja dentro de casa ou de modo virtual. A tecnologia nos trouxe o benefício de conectarmos com pessoas de qualquer lugar do mundo. Portanto se mantenha próximo das pessoas que ama e compartilhe suas experiências e emoções nesse momento delicado. O ato de conversar proporciona alívio.

– Tenha momentos para você se dedicar a reflexão, descobrir quais são seus sentimentos e o que está
acontecendo. Avalie suas emoções, chore se for preciso, se permita sentir o que for necessário. As emoções são para ser sentidas e não há nenhum problema em se permitir senti-las mesmo que as coisas não estejam bem. Porém evite ficar triste ou angustiado por muitos dias.

 

Psicóloga Marcilene da Silva Martins

Marcilene da Silva Martins

Marcilene da Silva Martins é psicóloga inscrita no CRP 04/56723, também possui formação em Gestão em Recursos Humanos e experiência na área de RH. Atualmente dedica seu trabalho exclusivamente a atendimentos clínicos e ajuda pessoas a alcançarem seus objetivos pessoais através do autoconhecimento. Acredita que a mudança de mindset e o ato de conhecer a si mesmo através da psicoterapia pode levar as pessoas a terem transformações significativas.

Nesse espaço tem o objetivo de compartilhar reflexões sobre mudança de minset, autoconhecimento e emoções conforme o olhar da psicologia. E também psicoeducar as pessoas através de conteúdos informativos. A psicóloga tem como missão levar a psicologia ao alcance do máximo de pessoas possível, para disseminar seus benefícios.

Deixe seu comentário