Tanto para o familiar que quer ajudar, quanto para o dependente químico de substâncias em questão é necessário ter um conhecimento sobre os tipos de drogas e suas consequências. Como sempre citamos em nossas matérias informativas no AcheAqui Clínicas é um grande passo para os usuários de narcóticos terem o conhecimento do que estão ingerindo e quais as consequências para o organismo

Além dos usuários, a teoria também se aplica aos familiares. Saber sobre os tipos de drogas e suas consequências para quem as usa é de extrema importância quando se trata de dar o primeiro passo para a recuperação. Seja ela em casa, em hospitais psiquiátricos, em clínicas de reabilitação, via internação involuntária e voluntária.

Por isso que em nossas dependências, realizamos um estudo sempre que possível, compartilhamos com nossos leitores todos os processos que envolvem a síndrome do comportamento adictivo aliado ao consumo de narcóticos, em síntese, a dependência química.

Entretanto, antes mesmo de falarmos dos tipos de drogas e suas consequências, temos que relembrar em síntese é claro, sobre questões que envolvem o comportamento adictivo aliado ao consumo de substâncias psicoativas independente de licitude.

Tais comportamentos são obsessivos e compulsivos tem como princípio uma única finalidade: eliminar sensações e frustrações desagradáveis. Além do mais o indivíduo pode recorrer a outras compulsões como por exemplo: limpeza, TOC, transtornos alimentares e etc.

Por isso é importante salientar que as substâncias químicas são apenas o final do processo de alívio dessas sensações desconfortáveis. Existe um processo que envolve recorrer à tal meio, por isso é necessário no tratamento dos transtornos mentais um acompanhamento psicológico e psiquiátrico.

Posto isso, a AcheAqui Clínicas juntamente com as Clínicas Restituindo Sonhos trazem à tona a classificação dos tipos de drogas e suas consequências. Entender e ter conhecimento, como já citado anteriormente, é o primeiro passo para a recuperação.

Classificação das Substâncias

Existe uma infinidade de substâncias que podem ser classificadas como drogas. Entretanto é de comum saber que as mesmas são classificadas em apenas três categorias sendo assim: drogas perturbadoras, substâncias depressoras e as estimulantes do organismo.

A cada década que passa o processo evolutivo das drogas aumentou, não só na qualidade, na quantidade mas também na diversidade de substâncias. Antigamente, especialmente na década de 60, o conhecimento sobre substâncias se limitava à maconha, LSD, cocaína e heroína.

Devido a quantidade de substâncias que atualmente são consumidas, e os estudos de profissionais da saúde envolvidos na OMS, foi realizada uma classificação das drogas por meio da sua atuação no organismo, e nós vamos salientar aqui, os tipos de drogas e suas consequências.

  1. Depressoras do SNC

As drogas depressoras do sistema nervoso central são drogas que baixam a atividade cerebral e conjuntamente o metabolismo do organismo. Sendo assim essas substâncias deprimem as atividades do indivíduo deixando-o desligado, com baixa atividade cerebral. Sendo assim, reflexos ficam ligeiramente alterados e retardados, ou seja, há a falta de instantaneidade nos mesmos.

São consideradas as drogas depressoras do sistema nervoso central o álcool; os inalantes ou solventes; soníferos; ansiolíticos; antidepressivos e a morfina. Por isso deve-se atentar especialmente aos tipos de medicação que são ingeridas, pois as mesmas estão cada vez mais sendo precursoras de acidentes de trânsito.

  1. Estimulantes do SNC

As drogas estimulantes do sistema nervoso central são drogas que disparam o aumento da atividade cerebral, já que imitam e auxiliam os neurotransmissores estimulantes no organismo. Deste modo deixam o indivíduo que as usa em sensação de alerta, com alta disposição, resistência, sensação de felicidade e poder.

São classificadas as drogas estimulantes do SNC a cocaína, a cafeína a nicotina, as anfetaminas e o crack (derivado da coca). Atualmente no Brasil, estamos passando por uma onda de consumo elevado desses estimulantes. Caso não seja tomada uma medida efetiva de imediato, as consequências podem ser grandes.

  1. Perturbadoras do SNC

As drogas perturbadoras do sistema nervoso central são substâncias que alteram a percepção de espaço, tempo e realidade. Ao mesmo tempo que alteram qualitativamente os processos químicos e de raciocínio no cérebro. Sensações como deformidade visual, psicose e esquizofrenia auditiva e visual podem aparecer juntamente com o seu uso.

São classificadas como drogas perturbadoras do SNC a maconha, o LSD, ecstasy, chá de cogumelo, cacto, ayahuasca, e medicamentos anticolinérgicos.

Muitas pessoas não sabem o impacto no organismo dessas substâncias, entraremos em detalhes posteriormente, mas infelizmente são compostos que fazem com que pacientes que são usuários recorrentes, permaneçam um tempo maior nas instituições, justamente porque o período de desintoxicação é maior.

As consequências dessas Drogas no Organismo

Conforme anteriormente declinado, apesar das drogas trazerem uma sensação reconfortante, de prazer, relaxamento e de esquecimento dos problemas do cotidiano, é importante salientar o quão expressiva é a sua devastação tanto para saúde física, quanto para a saúde mental.

A sua potência, pureza e quantidade de uso, acarretam problemas futuros significativos. Desta forma é interessante salientar os tipos de drogas e suas consequências para o indivíduo.

  1. Depressoras

As drogas depressoras, por atuarem no sistema nervoso central de forma a deprimi-lo, fazem com que o mecanismo que atua na área do metabolismo do corpo fique comprometido. Abaixando a capacidade cognitiva do indivíduo e diminuindo seus reflexos. No caso de drogas como a heroína, em uma dose elevada pode levar à morte praticamente instantaneamente. O álcool, mais comum é lícito, pode trazer sérios prejuízos de atividade motora e de equilíbrio no corpo.

  1. Estimulantes

Já no caso das estimulantes, a área de atuação não é apenas na parte do SNC mas sim no sistema de recompensa do cérebro. Onde hormônios importantes como serotonina, adrenalina e dopamina são administrados. Por isso as altas taxas de reincidência no uso, devido à sensação de prazer contínuo durante o uso. Entretanto, o indivíduo pode desenvolver transtornos de bipolaridade e de ansiedade ao decorrer de muito tempo de uso. Depressão e suicídio também são comuns em decorrencia da falta da substancia.

  1. Perturbadoras

Já as drogas perturbadoras, por alterarem significativamente os processos que envolvem todos os sentidos do corpo. São perturbadoras do SNC e trazem a sensação de alucinógenas ou psicodislépticas.

A famosa frase “atravessou o espelho” é bem conhecida por usuários que utilizam dessas substâncias justamente porque quando isso ocorre o indivíduo está tão mentalmente adoecido que praticamente o processo que envolve outras comorbidades já está avançado e o quadro é irreversível. Aliás, essas drogas demoram a serem processadas pelo metabolismo e fazem com que usuários institucionalizados permaneçam por um tempo maior em clínicas.

Restituindo Sonhos e AcheAqui Clínicas no Tratamento

Somos especializados no tratamento de pessoas que sofrem de dependência química. Ajudamos centenas de famílias e milhares de dependentes. Já atuamos na área do tratamento há mais de dez anos e sabemos o quanto é difícil tanto para familiares quanto para usuários de drogas darem o primeiro passo.

Esperamos que essa matéria informativa os auxilie a compreender que droga é droga. Independente de licitude e da forma que é consumida, se você perceber que está abusando, ou que está com dificuldades de ficar sem, procure nossos centros de tratamento para se livrar desse problema ainda no início. Lembre-se que o tratamento inicial da drogadicção é menos doloroso em comparação com anos de adicção.

Deixe seu comentário