A dependência química é uma doença que não se pode brincar, por isso que além de riscos ela oferece um conjunto de perigos de desintoxicação em casa. Sabe-se que, infelizmente, cada vez mais pessoas estão entrando no processo de drogadição, e além do mais com o coronavírus em 2020 as clínicas foram altamente requisitadas.

Entretanto, justamente por conta disso, algumas pessoas recorrem, como alternativa ao tratamento em instituições, na tentativa do procedimento de desintoxicação em casa. Entretanto, é uma escolha perigosa justamente porque não depende apenas de uma variável, mas sim de um conjunto delas.

Quando falamos de adicção em substâncias psicoativas é algo que independe de licitude. Por exemplo, existem pessoas que sofrem diariamente com um simples hábito, como por exemplo o hábito de fumar. Existem pessoas que passam anos tentando conter ou vício no cigarro e sem sucesso acabam cedendo.

Por isso, um dos perigos da desintoxicação em casa é a reincidência na substância, ou seja, recair sobre a mesma. Existem substâncias como a nicotina, o álcool, crack e cocaína que são altamente potentes no quesito de dependência, e ainda duas delas como o cigarro de tabaco e o álcool são lícitas e vendidas em qualquer lugar, o que contribui para dificultar o processo de recuperação.

Entretanto, não é porque o AcheAqui Clínicas e as Clínicas Restituindo Sonhos são instituições que realizam o procedimento de internação, que incitaremos o mesmo procedimento em nossos artigos. Muito pelo contrário, nós já sabemos como funciona o procedimento de adicção em narcóticos e em substâncias psicoativas.

Sabemos das dificuldades de regular o uso que os pacientes com diagnóstico de dependência sofrem. Tentar uma, duas, três, quatro, dez vezes e ainda não conseguir largar é frustrante, mas é real. Entretanto, vamos demonstrar o porquê desmistificar e desmarginalizar as instituições tanto para dependentes quanto para familiares é importante para dar o pontapé inicial na recuperação.

Um Conjunto de Fatores

Quando se trata dos perigos da desintoxicação em casa, muitas pessoas não sabem, é justamente porque existem drogas que trazem um mal estar tão grande em seu período de abstinência que fazem com que o cérebro não aceite ficar sem a mesma.

Isso dificulta a recuperação, especialmente quando nosso cérebro é programado para lembrar do que é bom e esquecer do que é ruim. Ou seja, ficar sem a substância é ruim e doloroso, é tê-la mesmo que isso traga prejuízos, é bom.

É um tanto quanto irracional a princípio, mas tudo é uma questão de química, e na dependência química é assim. O seu cérebro já está viciado na substância, ele já se acostumou a produzir hormônios, acelerar ou diminuir o metabolismo com estímulo externo, então porque ficar sem a substância? E se você ficar sem, ele vai pedir e é nessa, que o adicto cai.

Além do mais, existem outro conjunto de fatores que envolve o grau de dependência da substância. Um usuário agressivo e com anos de dependência de cocaína tende a recair na substância com mais facilidade ao invés de um usuário esporádico e que aos poucos está se tornando dependente. Entretanto, o tratamento de recuperação em instituições é válido para ambos, mesmo em neste último caso em que o usuário é recreativo esporádico.

Outro agravante é a droga em particular. Existem drogas que são tão potentes e que atuam em partes do cérebro como o sistema de recompensa, que fazem com que o prazer em usá-las seja praticamente inesquecível. Desta forma, fica cada vez mais difícil para o dependente abandonar o uso e adentrar em recuperação.

Sozinho eu Não Consigo

Esse é um dos lemas mais utilizados por vários sistemas de recuperação. Externamente existe um grupo, muito conhecido a nível global e que é auto sustentável, chamado de Narcóticos Anônimos. Esse grupo é excelente, principalmente quando se trata de avaliar um termômetro da adicção.

Estar envolvido e se reunindo com pessoas que sofrem das mesmas condições e que conseguem entender pelo que se está passando é um auxílio interessante. Diminuir os riscos dos perigos de desintoxicação em casa é satisfatório mesmo quando não há internação.

Entretanto, como citado anteriormente, existem drogas poderosas e que tem uma potência de reincidência de uso alta. Posto isso, a necessidade de intervenção familiar e posteriormente de internação é algo mais que usual e necessário.

Desmarginalização das Clínicas e Hospitais

Imagine que você está com uma gripe forte, e que cada dia que passa você fica mais gripado ainda. Já tomou vitamina C, chá disso e daquilo, melhorou a alimentação, está em repouso e absolutamente nada resolve.

De repente você começa a ter febre e falta de ar. Então, você recorre ao hospital. Chega lá e eles realizam os exames, medicam e dizem que você está com pneumonia, e que se não tivesse ido lá, poderia ter morrido sem ao menos saber o porquê.

Na dependência química é exatamente assim. Existem drogas como cocaína, crack, anfetaminas e outras que são tão potentes que mesmo antes de se adentrar em uma clínica a pessoa adoece mentalmente rapidamente. E é justamente aí que se está o famoso “Q” da questão.

Não seria melhor destinar os recursos que a família tem para um tratamento de reestruturação efetivo, onde justamente o cuidado é 24 horas, sete dias por semana supervisionado por profissionais da área que sabem muito bem o que se está fazendo ao invés de ficar na iminência dos perigos da desintoxicação em casa?

AcheAqui Clínicas de Recuperação

Por isso que o site AcheAqui Clínicas surgiu. Como um braço das Clínicas Restituindo Sonhos, nós temos diversas instituições no tratamento da recuperação e ao mesmo tempo temos a experiência que as Clínicas Restituindo Sonhos possuem. Sendo assim pedimos encarecidamente aos nossos leitores que antes mesmo de pensarem em dar o primeiro passo, entrem em contato com profissionais da saúde.

Eles sempre os ajudarão a diagnosticar a doença, em que nível de adicção se está e qual será a melhor forma de tratamento. Sendo assim, recorrer às nossas dependências seria interessante para “quebrar o gelo” posteriormente fazer um tratamento de acordo.

Deixe seu comentário