A etimologia da palavra vício, provêm do latim “vitium” que originalmente significava que a pessoa tinha algum tipo de anomalia física, entretanto qual é a importância e a relação da palavra vício e a dependência química?

Esse texto serve de como uma curiosidade para intrigar você leitor, que acha que vício está somente ligado com questões negativas, quando na verdade não apenas o é. Com o decorrer do tempo o sentindo dessa palavra “vitium” começou a ser empregado para pessoas que tinham um comportamento desviado de regras morais previamente estabelecidas naquela época. Linguísticamente a a questão da palavra vício, começou a ser empregada juntamente com a palavra “conduta” formando então a expressão “conduta viciosa”. Expressão que se refere à pessoas que contavam com atitudes viciosas e condutas inadequadas ou fora da questão moral e religiosas da época. Consideradas estas pessoas pecaminosas e imorais. Atualmente, a palavra vício, como substantivo masculino significa:

  • “Defeito ou imperfeição grave de pessoa ou coisa”

  • Qualquer deformação que altere algo física ou funcionalmente”

Um aspecto negativo e consequentemente, vicioso


Hoje em dia, a utilização da palavra vício esta atrelada à um mal hábito ou costume de alguém em relação à algo como por exemplo: “Ele tem esse vício de deixar a tampa do vaso aberta” ou até mesmo “ele está viciado em sair todos os dias”. Desta maneira podemos desassociar a questão da palavra vício e a dependência química, mas apenas parcialmente. Contudo, a palavra vício está ligado à questão do comportamento vicioso em algo mas não que necessariamente seja algo negativo, já que existem comportamentos viciosos positivos como: “Ele está viciado em espiritualidade” ; “Ele é viciado em ler” ; “Nossa, como ele é viciado em comida saudável” e até mesmo “Ele trabalha muito, mas é viciado em pintar”

Muitas pessoas acabam por sem querer relacionar a dependência química com a questão do vício na substância só em questão ou até mesmo no comportamento vicioso. Em teoria não está de todo errado, porém o dependente químico é aquele tipo de indivíduo que faz o uso de substâncias químicas (lícitas ou ilícitas) que alteram a sua concepção de realidade e que como por consequência, fazem alterações químicas no cérebro de maneira que o indivíduo tenha um comportamento vicioso e recorrente à procurar a substância novamente. Dentro dessa questão, o vício está ligado à questão do comportamento recorrente (que pode ser negativo ou não) do dependente químico em procurar a substância e a utilizar.

Desmarginalizando o vício e consequentemente o substituindo.

Para fechar o pensamento e concluir de maneira a deixar explícito a diferença entre a palavra vício e a dependência química, à partir da veríssima que todo dependente químico tem vício, pois utiliza do comportamento vicioso para adquirir a substância e fazer seu uso. Porém, nem todo viciado é dependente químico, pois existem pessoas que têm outros tipos de vícios que não envolvem substância químicas como o vício em pintar, correr, comer, ler, jogar e etc.

Existem outras maneiras de transformar sentenças deixando-as mais polidas ou até mesmo colocando palavras que se formaram ou se alteraram justamente pra aquela questão específica. Para exemplificar mais especificadamente observa-se que em N.A quando um membro vai se apresentar, ele diz o seu nome e em seguida “Sou um adicto em recuperação” pois justamente quer deixar claro a questão do comportamento adictivo não apenas vicioso, mas compulsivo e obsessivo.

Deixe seu comentário